Como é calculado o custo do estoque quando há movimentações?

Como é calculado o custo de estoque quando há movimentações?

Esta página mostra, com um exemplo, o cálculo do custo de estoque em uma movimentação.

A ficha de estoque abaixo mostra um item com 342,84 unidades em estoque e valor unitário de R$ 2,87429, após várias movimentações.

Ou seja, quando ocorre um consumo (baixa) desse item para uma ordem de produção, teremos disponíveis 342,84 unidades ao custo unitário de R$ 2,87429.

Seja uma baixa de 0,01 unidades do item para uma ordem de produção, resultando a seguinte linha na ficha de estoque:

A questão principal é: por que o valor da baixa foi R$ 3,00, sendo que em estoque o valor era R$ 2,87429?

Vejamos como o sistema calcula esse valor:

1) O sistema calcula o valor (R$) total da baixa realizada a partir da quantidade em estoque antes da baixa, do valor (R$) total desse estoque encontrado e da quantidade de fato baixada fazendo a seguinte proporção:

Valor total da baixa = (Valor (R$) total em estoque x Quantidade baixada) / Quantidade em estoque antes da baixa

Valor total da baixa = (985,42 x 0,01) / 342,84

Valor total da baixa = R$ 0,028742

2) O valor encontrado no passo anterior é arredondado para duas casas decimais, pois o valor em moeda é considerado até a segunda casa decimal (centavos de reais).

Valor total da baixa = R$ 0,028742

Valor arredondado = R$ 0,03

3) O valor unitário da baixa é calculado a partir da razão entre o valor encontrado e arredondado do passo anterior com a quantidade baixada.

Valor unitário da baixa = Valor arredondado da baixa / Quantidade baixada

Valor unitário da baixa = R$ 0,03 / 0,01 = R$ 3,00

4) Este valor encontrado é exibido com cinco casas decimais (quantidade de casas decimais máxima do sistema para valores de movimentação de estoque).

No item tratado, o motivo de o valor (R$) unitário do item ser 2,87 e a baixa ser a 3,00 é o arredondamento para centavos do valor encontrado no passo 1.