EFD Contribuições (SPED Contribuições)

EFD Contribuições (SPED Contribuições)

O ERP Industrial MAXIPROD gera a Escrituração Fiscal Digital dos impostos PIS e COFINS, também conhecida como SPED Contribuições. A EFD Contribuições é um “arquivo digital instituído pelo Sistema Publico de Escrituração Digital – SPED, a ser utilizado pelas pessoas jurídicas de direito privado na escrituração das Contribuições para o PIS/Pasep e da Cofins, nos regimes de apuração não-cumulativo e/ou cumulativo, com base no conjunto de documentos e operações representativos das receitas auferidas, bem como dos custos, despesas, encargos e aquisições geradores de créditos da não cumulatividade” (fonte: sped.rfb.gov.br).

Para gerar a EFD Contribuições no ERP MAXIPROD, é necessário incluir esta opção na sua assinatura. Para mais informações sobre a assinatura, clique aqui.

Veja também:

Configuração e geração da SPED Contribuições

  1. Vá ao menu Roda dentada () > Configurações
  2. Na tela de Configurações, expanda a opção “Configurações de SPED Contribuições”
  3. Marque a opção “Gerar SPED Contribuições”, e preencha os campos abaixo com as informações à respeito dos indicadores da empresa, exigidos para a geração do arquivo

  4. Faça o cadastramento do contador e preencha-o também na tela de Configurações, além da apuração dos impostos PIS e COFINS do período da declaração
  5. Vá ao menu Fiscal > Sped Contribuições (PIS COFINS)

  6. Informe as datas de início e fim e clique em

  7. Ao final do processo, é feito o download do arquivo SPED Contribuições e exibida a mensagem:

SPED Contribuições multi-CNPJ

Para o arquivo SPED incluir mais de um CNPJ são necessárias algumas configurações:

  1. Todas as empresas devem ter as “Configurações de SPED Contribuições” preenchidas (vide passo-a-passo acima)
  2. Deve existir uma relação matriz-filial. Para isso, defina uma empresa como sendo a matriz. Para as outras empresas, que serão consideradas como filiais, deve ser marcado o campo “Empresa faz parte do grupo”, preenchendo o campo “Empresa matriz” com a empresa definida como matriz (exemplo abaixo).

  3. Ao gerar o arquivo SPED, o ERP MAXIPROD deve estar logado no ambiente da empresa matriz. Se gerado por uma empresa filial, as informações não serão corretamente geradas.

Preenchimento e destaque do PIS e COFINS

Devido à sua complexidade, devem ser preenchidos alguns dados para que os registros dos impostos PIS e COFINS sejam corretamente gerados no arquivo fiscal, sem gerar erros no validador da Receita Federal. De maneira geral, são gerados registros no arquivo SPED para cada nota/documento fiscal emitido, recebido ou cancelado, com valor de débito/crédito de PIS/COFINS superior a zero.

Mais abaixo, nesta página, há algumas orientações para os casos mais comuns de recebimento e emissão de notas fiscais. Além destas situações, há casos mais peculiares, que demandam um conjunto de configurações no sistema. Estes registros específicos podem ser consultados nas páginas abaixo:

Orientações gerais

Nos casos de vendas/receitas em geral, é necessário preencher o campo “Contribuição social apurada PIS/COFINS”, na aba “Mais campos” da edição do PIS. Este campo é considerado tanto para o PIS como para a COFINS.

A “Natureza da receita” deve ser preenchida se a venda não está sujeita a contribuição de PIS e COFINS, em função do CST (registros M400/M410 e M800/M810). Para isto, é utilizada a aba “Mais campos” da edição dos impostos, mas diferente de outros campos, devemos fazê-lo tanto na edição do PIS como da COFINS.

Já nos casos de compra/aquisição de produtos, é necessário preencher a “Natureza da base de cálculo” e o “Tipo de crédito”, localizados, respectivamente, nos impostos PIS e COFINS. Ambas informações são preenchidas também na aba “Mais campos” de cada imposto e, mesmo que o preenchimento seja feito em apenas um dos impostos, sua informação vale tanto para o PIS quanto para a COFINS.

Devolução de compra (registros M110 e M510)

Nos casos de devolução de uma compra realizada pela empresa, é necessário o destaque de 2 registros para cada imposto. Tanto para o PIS quanto para a COFINS, devem ser destacados o próprio imposto e sua devolução. Para os próprios impostos PIS e COFINS, preencher com o CST que será destacado na nota, geralmente com “49 – Outras operações de saída”; já para os impostos do tipo “devolvido”, preencher com o CST correspondente à nota fiscal que está sendo devolvida.

O valor do crédito sendo devolvido deve ser destacado nos impostos com o termo “devolvido”, enquanto os outros dois impostos precisam apenas do CST necessário para a emissão da nota.

O único preenchimento obrigatório para a devolução de compra deve ser feito no imposto “COFINS devolvido”. Em sua edição, na aba “Mais campos”, o campo “Tipo de crédito” deve ser preenchido com o mesmo tipo da nota fiscal original, que estamos devolvendo. O preenchimento deste campo é considerado tanto para o PIS quanto para a COFINS.

Portanto, ao gerar e ao validar o arquivo EFD, o ajuste da devolução será destacado nos registros “M110 – Ajustes do Crédito de PIS/Pasep Apurado” e “M510 – Ajustes do Crédito de COFINS Apurado” dos tipos de créditos correspondentes.

Para acessar uma nota fiscal preenchida com os dados acima, clique aqui.

Devolução de venda

No caso das devoluções de venda, o processo é um pouco mais fácil para empresas do Lucro Real (regime não-cumulativo): basta realizar os mesmos preenchimentos de uma nota fiscal de compra/entrada. Ou seja, ao contrário da devolução de compra, não é necessário o destaque dos impostos do tipo “devolvido”, apenas o PIS e COFINS em si. Assim, além dos CSTs correspondentes à nota original que está sendo devolvida, devem ser preenchidos os campos “Nat base calc” e “Tipo de crédito” na edição do PIS e COFINS, respectivamente. A “Natureza da base de cálculo” geralmente é preenchida com “12 – Devolução de Vendas Sujeitas à Incidência Não-Cumulativa”, enquanto o “Tipo de crédito” é preenchido com o mesmo tipo da nota fiscal a ser devolvida.

Já para empresas do Lucro Presumido (regime cumulativo), o processo de devolução de venda é o mesmo realizado para devoluções de compra, em que é necessário o destaque dos impostos PIS devolvido e COFINS devolvido, além dos próprios PIS e COFINS. Aqui também será destacado o valor apenas nos impostos do tipo “devolvido”, que devem ser preenchidos com o CST referente à nota a ser devolvida, enquanto os impostos PIS e COFINS próprios devem estar zerados e preenchidos com um CST genérico, que será destacado na nota fiscal; geralmente com “98 – Outras operações de entrada” ou outro conforme orientações fiscais.

O preenchimento obrigatório para a devolução de venda em empresas do Lucro Presumido deve ser feito no imposto “PIS devolvido”, na aba “Mais campos”, onde o campo “Contribuição social apurada PIS/COFINS” deve ser preenchido com a mesma contribuição da nota fiscal original que está sendo devolvida. O preenchimento deste campo será considerado tanto para o PIS quanto para a COFINS.