Carga-fábrica

Carga-fábrica

A carga-fábrica é uma grade que mostra, dia a dia, o percentual de ocupação de cada centro de trabalho (CT), relacionando a necessidades de trabalho com sua capacidade:

% OCUP = 100% x horas necessárias / capacidade

onde:

  • horas necessárias: para cumprir o plano mestre de produção;
  • capacidade: horas de capacidade do centro de trabalho

Se o percentual de um CT em um dia é superior a 100%, a carga é irrealizável. Pode-se, então:

  • aumentar a capacidade, acrescentando turnos ou pessoal;
  • reduzir a necessidade, reduzindo ou postergando pedidos.

Como é calculada a necessidade em horas por dia?

O cálculo da necessidade de uma atividade em horas, por dia, é realizado da seguinte forma:

  1. Pelo planejamento realizado pelo MRP, tem-se o lead-time, ou duração de cada operação das OPs. Por exemplo, se uma operação termina no dia 12 de maio, e o seu lead-time é de 4 dias, então o seu início será 4 dias úteis antes do dia 12 de maio, incluindo este próprio dia. Se o lead time fosse de 1 dia, então a atividade seria realizada integralmente no dia 12 de maio;
  2. Pela duração de cada uma da operações, calculada em horas;
  3. Dividindo-se a duração da operação pelo seu lead-time, tem-se as horas de trabalho por dia útil.

Exemplo, passo-a-passo

Vide nossas páginas sobre roteiros e estruturas de produto e centros de trabalho.

Nossa empresa produz o item “CANETA0001 – Caneta esferográfica azul”. Este item tem o seguinte roteiro de produção:

Cada operação realizada em um centro de trabalho tem um tempo-padrão e um lead time.

Tempo padrão:

Para produzir 1000 canetas:

Operação 10 Separação dos materiais: 1000 x 0,007 =  7 horas.

Operação 20 Montagem da caneta: 1000 x 0,009 =  9 horas.

Operação 30 Limpeza da caneta: 1000 x 0,005 = 5 horas.

Operação 40 Embalagem: 1000 x 0,005 = 5 horas.

Lead time:

O lead time de cada uma das operações é de 2 dias. Se forem consecutivas, sem superposição, são necessários 8 dias úteis para concluir a produção.

O lead time não é ajustado automaticamente pelas quantidades a produzir. Por isso, é possível que a quantidade de horas necessárias para produção, divididas pelos seus lead times, exceda a capacidade instalada da empresa. Será nesse momento que cabe à gestão da produção rever as datas de entrega e os lead times, ou a capacidade fabril.

Centros de trabalho:

As operações de produção da caneta passam pelos centros de trabalho abaixo:

Cada centro de trabalho tem um custo/hora e uma quantidade de horas disponíveis por dia. Por exemplo, o centro de trabalho SEPARAÇÃO tem um custo de R$300,00/h e está disponível durante 14 horas de trabalho por dia.

Para que um centro de trabalho seja considerado na carga-fábrica, a opção Considera na carga-fábrica deve ser ligada na tela de edição do CT.

Criando uma venda:

Criamos três pedidos de venda do item CANETA0001, cada pedido com uma data de entrega e uma quantidade:

Resumo da grade de pedidos:

Pedido 67: 5.000 unidades para 16/04/20.

Pedido 68: 5.000 unidades para 20/05/20.

Pedido 69: 2.000 unidades para 10/04/20.

Rodando o MRP, o sistema cria as ordens de produção necessárias para atender os pedidos de venda. A carga fábrica somente é exibida depois do MRP.

Analisando a carga-fábrica:

Vamos ao menu Produção > Carga-fábrica.

A grade apresenta o intervalo de dias definido no filtro Intervalo.

Defina a capacidade dos centros de trabalho no calendário fabril. Digamos que cada centro de trabalho dispõe de 14 horas de trabalho por  dia.  Para isso, clicamos o botão verde .

Selecionamos o centro de trabalho, marcamos a opção “Digitar” e informamos o período ao qual a capacidade de produção deve se aplicar.

Feito isso, clicamos em .

Agora a grade de carga-fábrica, quando selecionada a opção “Capacidade” do filtro Cálculo, mostra a 14 horas de capacidade/dia até 30/06/20.

O filtro Cálculo tem quatro opções que mostram, respectivamente:

Capacidade: a capacidade de trabalho dos centros de trabalho, por dia.

% ocupação: o percentual de ocupação dos centros de trabalho

Necessidade firme: horas necessárias para atender as ordens de produção no estado “A produzir”.

Necessidade sugerida: horas que necessárias para atender todas as ordens de produção, tanto no estado “Sugerida” como “A produzir”.

Na imagem abaixo, mostramos a necessidade sugerida, em horas :

Pela imagem acima, já podemos notar que em alguns pontos estamos excedendo a capacidade de 14 horas de trabalho por dia de alguns dos centros de trabalho. Para analisar de forma mais clara, agora vamos filtrar pelo % ocupação:

Analisando o percentual de ocupação, observa-se que em alguns dias, em alguns CTs, a necessidade de trabalho está excedendo a capacidade. Na separação de materiais são utilizados 125% nos dias 06/04 e 07/04. Na montagem da caneta são utilizados 160,7% nos dias 08/04 e 09/04.

Há várias formas de tratar o excesso de trabalho nos dias apontados:

a) Aumentar o lead time de operações

b) Aumentar a capacidade de centros de trabalho

c) Alterar as datas de entrega dos pedidos

d) Reduzir as quantidades a produzir

a) aumentar o lead time de operações do roteiro de produção.

Aumentamos o lead time de dois dias para quatro dias nas operações das OPs em que a necessidade ultrapassa a capacidade de produção.

Rodamos o MRP novamente.

Agora consultamos novamente a tela de carga fábrica, filtrando por % de ocupação.

Aumentando o lead time, nos aproximamos de uma produção possível em que se utilizaria 80,4% do centro de trabalho montagem da caneta.

b) Aumentar a capacidade de horas de trabalho dos centros de trabalho

Clicarmos no botão e informamos uma capacidade de trabalho maior, seja pela ativação de mais máquinas ou pelo aumento do turno de trabalho.

Aumentando a capacidade de horas do centro de trabalho de montagem da caneta para 28 horas por dia, chega-se um percentual de ocupação realizável, de 80,4% do centro de trabalho.