Ordem de produção multinível: produção incluída na OP do item-pai

Ordens de produção multinível: produção incluída na OP do item-pai

Nas ordens de produção multinível a produção de itens-filho é incluída na ordem de produção (OP) de seu item-pai, reduzindo a quantidade total de OPs, e também as baixas, pois não há baixas entre operações. Criamos assim uma ordem de produção multinível, isto é, uma ordem de produção que inclui mais de um nível da estrutura de produto.

Isso acontece quando o item-filho é produzido especificamente para ser insumo da produção do item-pai. Neste caso, apesar de haver um item produzido por uma operação e consumido por outra, ele não é estocado, mas é simplesmente transferido de uma operação para a outra. O roteiro da OP resultante será uma fusão dos roteiros dos seus itens “produto intermediário” e “produto final”.

Exemplos de utilização:

  • perfumes ou medicamentos produzidos e imediatamente envasados, sem estocagem do líquido;
  • conjuntos de cabos de vela: onde os cabos individuais são fabricados e imediatamente montados no conjunto;
  • produção com engenharia sob encomenda.

Para que isso ocorra, a propriedade Produção incluída na OP do item-pai da estrutura de produto (do item-filho, que alimenta a produção do item-pai) deve ser marcada.

Seja, por exemplo a estrutura de produto do perfume embalado EMB:

EMB Perfume embalado
+LIQ Liquido do perfume            (  ) Produção incluída na OP do item-pai

Se, na ligação “EMB-LIQ” da estrutura de produto, a propriedade Produção incluída na OP do item-pai não estiver marcada, então:

  • a produção do perfume embalado ocorrerá através de 2 OPs: uma que fabrica o LIQ, e outra que o envasa, gerando o produto EMB.
  • se houver LIQ em estoque, não será necessária a OP de LIQ, ou será necessária uma OP de quantidade inferior, para complementar a quantidade necessária.

No entanto, se a propriedade Produção incluída na OP do item-pai estiver marcada, então:

  • a produção do perfume embalado ocorrerá através de uma única OP, que fabrica o LIQ, e também o envasa, gerando o item EMB (perfume embalado).
  • não será considerado o estoque de LIQ e, na OP do item EMB será produzida a quantidade total de LIQ necessária para o produto final.

Agora já não será suficiente ordenar as operações pelo seu código numérico (10, 20, 30, …), pois os mesmos códigos podem-se repetir nas operações dos roteiros de ambos (ou mais) itens. É necessário:

  1. identificar cada operação pelo par (código da operação, código do item)
  2. apontar de uma operação para a operação seguinte

EXEMPLO: PERFUME EMBALADO

Voltando ao exemplo anterior:
EMB Perfume embalado
+LIQ Liquido do perfume            ( x ) Produção incluída na OP do item-pai

onde:

EMB tem o roteiro:
30 EMB
35 EMB
40 EMB

LIQ tem o roteiro:
20 LIQ
30 LIQ
40 LIQ

e LIQ é consumido pela operação 35 de EMB

A OP resultante terá o seguinte roteiro:
Operação  -> Próxima operação
30 EMB      -> EMB,35
20 LIQ        -> LIQ,30
30 LIQ        -> LIQ,40
40 LIQ        -> EMB,35
35 EMB      -> EMB,40)
40 EMB      ->  – – – –

Observa-se que:

  • as operações ”30 EMB” e ”20 LIQ” não são apontadas como próximas por nenhuma outra, portanto podem ser iniciadas sem que qualquer outra operação tenha sido realizada;
  • a operação ”35 EMB” é Prox das operações ”30 EMB” e ”40 LIQ”, ou seja, para iniciar a operação ”35 EMB” temos que ter realizado antes, pelo menos parcialmente, essas operações que a apontam como próxima;
  • a operação ”40 EMB” não tem próxima, portanto a quantidade concluída irá para o estoque de produtos acabados.

Exemplo detalhado

A estrutura de produto a seguir inclui na OP do item-pai (RACAO_001_) o item-filho R_BASE_001:

O roteiro de produção do mesmo item RACAO_001_ é:

Item-filho R_BASE_001:

– Estrutura de produto:

– Roteiro de produção:

O item-filho R_BASE_001 também possui um item-filho com produção incluída na OP do item-pai, o item R_TEMPERO, com a seguinte estrutura de produto:

– Roteiro de produção:

A quantidade a ser produzida pela OP do item-pai RACAO_001_ determina a quantidade de cada um dos insumos do item-filho R_BASE_001 e esta determina a quantidade dos insumos pertencentes ao R_TEMPERO, pois suas respectivas produções estão incluídas na produção da OP do item-pai RACAO_001_:

Ou seja, 10 unidades a serem produzidas do item RACAO_001_ demandam as quantidades dos insumos do item-filho R_BASE_001 multiplicados por 10 e este último da mesma forma para os insumos do item R_TEMPERO.

No caso de OPs simples, cada operação pode ser identificada pelo par (OP, operação), ie o código da OP e o código da operação, por exemplo (OP 30041, operação 30), pois a OP está associada a um único item.

Já no caso das  OPs multinível  em que uma OP produz um item B, mas também produziu (na mesma OP) um ou mais insumos deste item, por exemplo A, o mesmo código da operação (digamos, 20), pode-se repetir na mesma OP, uma vez para o item A, outra para o B. Neste caso, é necessário informar o item produzido pela operação, ie cada operação é identificada pela tripla (OP, item, operação).

Exemplo de OP multinível

O MAXIPROD permite criar ordens de produção com vários níveis de estrutura de produto, através de 2 mecanismos:

  • propriedade da estrutura de produto “Produção incluída na OP do item-pai”
  • item-conjunto

Seja, por exemplo, um item “Controle remoto”, com a seguinte estrutura de produto:

Resulta a seguinte OP do item acabado:

Observe que:

  • o item “Capa” não aparece como insumo da OP do “Controle remoto” porque a propriedade Produção incluída na OP do item-pai do item filho “Capa” da estrutura de produto do “Controle remoto” está ligada.
  • como consequência, os itens-filho do item “Capa” aparecem diretamente como insumos da OP do seu item-pai, portanto da OP do item “Controle remoto”.
  • o Corpo da Capa não aparece como insumo porque é um item conjunto. No seu lugar aparecem seus itens-filho, “Tinta” e “Plástico”.