Ajuda

O que fazer se há recorrência da rejeição por consumo indevido ao importar NFs do Ambiente Nacional?

Ao importar NFs recebidas do Ambiente Nacional através da opção “último NSU”, pode ocorrer a rejeição por consumo indevido. O NSU é um “Número Sequencial Único“, próprio da empresa, usado na consulta ao Ambiente Nacional.

Cada NSU corresponde a um evento ou nota envolvendo a empresa, gerado em ordem cronológica. Por exemplo:

  • (1) A autorização de uma de um fornecedor para nossa empresa gerou o NSU 1872;
  • (2) Logo após, veio a ciência da operação realizada por nossa empresa, gerando o NSU 1873;
  • (3) Por fim, o XML gerado da nota no Ambiente Nacional gerou o NSU 1874.

Veja também:

Está página mostra:

Quais as causas da rejeição por consumo indevido?

A Sefaz define limitações à consulta de NFs no Ambiente Nacional. Há duas condições principais que, se infringidas, são considerados como “consumo indevido” e bloquearão novas consultas pelo CNPJ por 1 hora:

  • Consulta de documentos quando não há mais documentos a consultar: se o retorno da utilização da ação for “nenhum documento localizado”, sua consulta do último NSU está atualizada com o NSU atual do ambiente nacional, indicando que, no momento, não há mais notas a importar.

Recomenda-se esperar uma hora ou mais para nova consulta, tempo suficiente para que novos documentos fiscais sejam emitidos contra a sua empresa e, consequentemente, gerados novos NSUs no ambiente nacional.

Se realizada uma nova consulta antes desse intervalo, será gerada pelo ambiente nacional a rejeição: “Consumo indevido. Deve ser aguardada 1 hora para efetuar nova solicitação caso não existam mais documentos a serem pesquisados. Tente após 1 hora“.

  • Consulta de NSU de forma sequencial: as consultas devem seguir uma sequência ascendente com base no último NSU. Em outras palavras, as notas no ambiente nacional devem ser consultadas sequencialmente, para que o serviço não seja utilizado duas ou mais vezes para consultar as mesmas notas. Por exemplo:
    • hoje consultamos o NSU 230, o ambiente nacional retorna notas e o último NSU é 277;
    • o sistema importa estas notas e atualiza a configuração do “Último NSU pesquisado na SEFAZ” com o valor “277”;
    • se alterada esta configuração para qualquer número diferente de 277, será gerada pelo ambiente nacional a rejeição “Rejeicao: Consumo Indevido. Deve ser utilizado o ultNSU nas solicitações subsequentes. Tente após 1 hora“.

Importante: se sua empresa utiliza outro sistema além do ERP MAXIPROD para fazer consultas ao ambiente nacional, deve haver sincronismo do NSU entre as ferramentas, que devem seguir a mesma sequência de numeração ordenada e de forma ascendente, para que o CNPJ de sua empresa não seja bloqueado.

Que fazer se houver recorrência desta rejeição?

1) Quando o resultado for “nenhum documento localizado”, é importante observar o “último NSU” retornado na mensagem, pois na tentativa seguinte, se houver novamente esta rejeição, será necessário os NSUs para saber se está seguindo a sequência ou se está havendo saltos.

2) Se hoje veio a rejeição “nenhum documento localizado” e o “último NSU” retornado foi o 1080, na tentativa de importação seguinte, se nenhum documento novo for localizado, isto significa que não houve nenhum novo evento para o seu CNPJ no ambiente nacional, logo o último NSU deve ser o mesmo.

3) Pode haver outros eventos dos quais a sua empresa participa, como emissão de carta de correção por parte do fornecedor, cancelamento de NF-e, etc., e cada evento gera um número sequencial único (NSU), logo o último NSU retornado entre as rejeições recorrentes, terá que estar dentro desta sequência. Caso contrário, há outra aplicação consumindo o serviço. Portanto, verifique se há um salto muito grande.

4) Verifique se não há outra aplicação consumindo o serviço de consulta ao ambiente nacional com o CNPJ da sua empresa. Existem monitores de notas fiscais que rodam em segundo plano no computador, e podem passar desapercebidos ao usuário. Um exemplo disso é a aplicação “Danfe Mon”,  ou “Monitor de notas do FSist”, que faz este tipo de consulta, desde que o certificado digital da empresa esteja configurado naquele computador.

5) Se a rejeição é recorrente, verifique todas as máquinas nas quais o certificado digital da empresa está instalado, e analise se não há outra aplicação utilizando o serviço e causando a quebra na sequência dos NSUs. Verifique também com o seu escritório de contabilidade, se utilizam alguma outra aplicação para isso.

Como alterar o último NSU pesquisado na Sefaz?

1) Pode-se alterar manualmente o último NSU pesquisado na Sefaz, para isso acesse o menu “Roda dentada > Configurações > Configurações de NF-e”.

2) A seguir, altere o valor do campo “Último NSU pesquisado na SEFAZ”, e vá até o rodapé da página para “Salvar” a alteração.

Veja também: